Aumento da competitividade das instalações de aquicultura através da promoção da sua eficiência energética

Resumo do projeto

O projeto “Acuaenergy: Aumento da competitividade das instalações de aquicultura através da promoção da sua eficiência energética” foi aprovado no âmbito da segunda convocatória do Programa de Cooperação Transfronteiriça Espanha-Portugal INTERREG V-A (POCTEP) 2014-2020, com um orçamento global de 737.685,38 €.

O projeto Acuaenergy encontra-se integrado no eixo prioritário 2, que visa o crescimento inclusivo mediante uma cooperação transfronteiriça em favor da competitividade empresarial, cujo objetivo temático consiste no aumento da competitividade das pequenas e médias empresas. Para o efeito, deverão ser desenvolvidos e implementados novos modelos empresariais para as PME, favoráveis à internacionalização. Por último, procura-se promover a competitividade nos setores em que o Espaço de Cooperação apresente vantagens competitivas.

Objetivos

Objetivos

Objetivo do projeto

O objetivo geral do projeto Acuaenergy consiste em aumentar a competitividade e o potencial de crescimento do setor da aquicultura, mediante a identificação, análise e divulgação de soluções energéticas sustentáveis do ponto de vista ambiental e económico.

Paralelamente, visa também o desenvolvimento de produtos de eficiência energética e de energias renováveis, abrindo um novo mercado para as empresas do setor da energia. A Acuaenergy pretende contribuir para a promoção da competitividade em dois setores estratégicos do Espaço de Cooperação, melhorando o seu posicionamento com novos produtos e uma gestão energética e económica mais eficiente. Para tal, é indispensável contar com especialistas multissetoriais e aplicar uma abordagem transfronteiriça, que garanta a aplicabilidade dos resultados obtidos.

Objetivos específicos

Aumento do conhecimento relativo ao perfil energético das instalações de aquicultura e desenvolvimento de soluções tecnológicas para a promoção da eficiência energética no setor.

  • Dar a conhecer o perfil energético do setor da aquicultura e propor soluções validadas de aumento da eficiência energética, permitindo ao setor contar com instalações mais eficientes e à administração, estabelecer medidas para o potenciar.
  • Demonstrar o compromisso da indústria aquícola para com os objetivos estabelecidos na estratégia 2020, relativamente ao cuidado ambiental, à redução de emissões e às energias renováveis.
  • Divulgação do perfil energético das instalações de aquicultura a instaladores e a empresas do setor elétrico.

Reforço da competitividade do setor da aquicultura, através de uma melhoria dos seus custos energéticos operacionais.

  • Incentivar a deteção de oportunidades de melhoria nas instalações existentes, bem como a introdução de soluções mais eficientes e de boas práticas de gestão energética.
  • Promover a exploração de novos mercados, como resultado da existência de instalações mais competitivas.

Definição de uma estratégia de internacionalização e desenvolvimento do volume de exportações do setor da aquicultura, com base numa infraestrutura produtiva mais eficiente.

  • Potenciar a exploração de novos mercados como resultado da existência de instalações mais competitivas.
  • Dar a conhecer às empresas de aquicultura mercados atrativos, para os quais poderão expandir a sua atividade comercial, facilitando a sua entrada nos mesmos através da respetiva caracterização.

Contextualização do projeto a nível de políticas comunitárias, nacionais e regionais

Nível Europeu

  • Política Comum das Pescas (PCP)
  • Diretiva 2012/27/UE relativa à eficiência energética
  • Estratégias de desenvolvimento económico sustentável:
  • Horizonte 2020
  • VII Programa de Ação Ambiental da UE
  • Plano Estratégico Europeu para as Tecnologias Energéticas
  • Plano de Ação para uma Estratégia Marítima na Região Atlântica

Nível Nacional Espanha

  • Plano Nacional Aquícola Nacional 2014-2020

Nível Nacional Portugal

  • Plano de Ação Portugal 2020

Nível Regional Galiza

  • RIS3. Estratégia de Especialização Inteligente Estratégia Galega para a Aquicultura (ESGA)

Nível Regional Zona Norte

  • Plano de Ação Norte Portugal 2020 “Plano Estratégico para a aquicultura portuguesa” (2014-2020).

Nível Regional Galiza-Zona Norte de Portugal. RIS3T

  • Plano de Investimentos Conjuntos (PIC) 2014-2020. Ação Conjunta 4 e Ação Conjunta 5

Contextualização do projeto
Caso Espanha

A nível europeu, através da Diretiva 2012/27/EU relativa à eficiência energética, o principal objetivo é alcançar uma economia energética de 20% sobre as previsões realizadas para o ano de 2020, juntamente com a necessidade de realizar uma maior quantidade de auditorias às empresas, o que implicará maior conhecimento e controlo dos processos e das necessidades energéticas associadas às atividades empresariais.

Nível Europeu
Política Comum das Pescas (PCP)

As principais estratégias de desenvolvimento económico sustentável a nível europeu, como o Horizonte 2020, o VII Programa de Ação Ambiental da UE, o Plano Estratégico Europeu para as Tecnologias Energéticas e o Plano de Ação para uma Estratégia Marítima na Região Atlântica, salientam a necessidade de promover a aquicultura sustentável.

Nível Nacional
Plano Nacional Aquícola Nacional 2014-2020

Este plano incorpora como ações prioritárias as relacionadas com o aumento da eficiência energética nas instalações e a diminuição do impacto ambiental associado ao funcionamento das mesmas (OE2 e OE3).

Nível Regional
Estratégia Regional. RIS3

Uma das prioridades da RIS3 Galiza é a P1.4: Modernização dos setores primários galegos.

Contextualização do projeto
Caso Portugal

A nível europeu, através da Diretiva 2012/27/EU relativa à eficiência energética, o principal objetivo é alcançar uma economia energética de 20% sobre as previsões realizadas para o ano de 2020, juntamente com a necessidade de realizar uma maior quantidade de auditorias às empresas, o que implicará maior conhecimento e controlo dos processos e das necessidades energéticas associadas às atividades empresariais.

Nível Europeu
Política Comum das Pescas (PCP)

As principais estratégias de desenvolvimento económico sustentável a nível europeu, como o Horizonte 2020, o VII Programa de Ação Ambiental da UE, o Plano Estratégico Europeu para as Tecnologias Energéticas e o Plano de Ação para uma Estratégia Marítima na Região Atlântica, salientam a necessidade de promover a aquicultura sustentável.

Nível Nacional
Plano de Ação Norte 2020

Este plano inclui ações que visam aumentar a eficiência energética nas empresas e apoiar a promoção da eficiência energética nas empresas (EP 3. Economia de Baixo Teor de Carbono), considerando a aquicultura como uma das atividades que apresenta margem para desenvolvimento na área.

Nível Regional
Estratégia Regional. RIS3T

A Estratégia Transfronteiriça define um quadro de cooperação conjunta. Dentro das áreas estratégicas desta cooperação, encontra-se o reforço da competitividade da indústria aquícola. Uma das fórmulas apresentadas consiste no uso de redes e plataformas de cooperação.

Contextualização do projeto a nível de
fundos de desenvolvimento

  • UNIÃO EUROPEIA
  • Política regional = política de coesão
  • Fundo europeu de desenvolvimento regional (FEDER)
  • Cooperação territorial europeia = Interreg
  • Interreg A: Cooperação Transfronteiriça
  • Programa Interreg POCTEP
  • Interreg B: Cooperação Transnacional
  • Interreg C: Cooperação Inter-regional